BALÃO INTRAGÁSTRICO

untitled-1O objetivo do tratamento com o balão intragástrico é criar a sensação de saciedade precoce, de maneira que o paciente possa fazer a dieta proposta com maior facilidade.Para qualificar-se, o paciente deve pesar inicialmente mais de 45Kg acima de seu peso ideal, ou um índice de Massa Corporal (BMI- significa o peso em quilos dividido pela estatura em metros elevada ao quadrado) de 40 ou mais e não ter condições clínicas para ser submetido à cirurgia ou não aceitar a indicação cirúrgica; ou ainda, um Indice de Massa Corporal menor que 35 e ser refratário a tratamentos clínicos prévios para o emagrecimento ou doenças associadas pelas medicações utilizadas no tratamento clínico.

O êxito na perda de peso não depende unicamente do método. O paciente deve ser acompanhado durante o tratamento por nutricionista e psicólogo. Deve regressar ao consultório médico de acordo com o cronograma estipulado pelos profissionais que farão seu acompanhamento e finalizar o tratamento seis meses após o procedimento.

DESCRIÇÃO DO BALÃO

O BIB é uma prótese esférica de silicone, a qual em seu estado inicial encontra-se presa em um fino invólucro de silicone, assumindo formato cilíndrico de aproximadamente 45fr de diâmetro e 10 centímetros de comprimento. Em sua extremidade proximal há uma sonda tubular de silicone de 16fr e 50 centímetros pela qual será realizada a insuflação do balão que tem sua capacidade entre 400 e 600 milimetros.

DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO

Antes de iniciar o tratamento o paciente é submetido a uma avalição psicológica e nutricional.

Indicado o tratamento, o paciente deve realizar uma dieta líquida por 24 horas antes da colocação do balão.

COLOCAÇÃO

  • 1. Colocação do BIB deve ser realizado em regime ambulatorial ou hospital dia.
  • 2. O posicionamento deve ser feito sob sedação profunda ou anestesia geral superficial, a critério do médico anestesiologista. Monitorização cardíaca e oximetria são obrigatórios.
  • 3. Introdução do balão vazio via oral até o seu posicionamento na cavidade gástrica.>
  • 4. Injeção de 500 mililitros(400 – 600 mililitros) de solução salina isotônica a 0,9% com 5 mililitros de azul de metileno.
  • 5. Terminada a insuflação é realizada a manobra de fechamento da válvula do balão.
  • 6. Tração cafálica da sonda de inflação, lentamente, até a liberação do balão dentro da cavidade gástrica.
  • 7. Aferição do posicionamento correto do balão através da endoscopia.
  • 8. Liberação do paciente duas horas após a colocação.
  • 9. Tempo de permanência média do BIB de seis meses.

Após o procedimento o paciente poderá nas primeiras horas apresentar náuseas, vômitos e dor abdominal, para o que será medicado.

Durante o tratamento, o paciente não poderá ingerir a mesma quantidade de alimentos que é acostumado. Deverá seguir todas as orientações dietéticas e efetuar mensalmente as consultas de acompanhamento com seu médico e com os profissionais de sua equipe.

RETIRADA

  • 1. A retirada deve ser realizada sob sedação profunda, por médico anestesiologista e devidamente monitorada.
  • 2. Após o paciente sedado, deve-se proceder a endoscopia digestiva e posicionamento do balão no fundo gástrico.
  • 3. Com o aparelho de endoscopia em retroversão proceder a perfuração do BIB com agulha de esclerose, a qual deve ser introduzida alguns centímetros para dentro do balão. Recolher a agulha e iniciar a aspiração do líquido com controle do volume aspirado. O balão deve estar totalmente vazio para ser retirado.
  • 4. Após esvaziamento completo do balão este deve ser capturado com “pinça de corpo estranho” na face contra-lateral à válvula.
  • 5. A retirada deve ser lenta e gradual mantendo sempre o balão junto à ponta do endoscópio.
    Após a retirada, o paciente deve ficar em observação por dua horas, sendo dispensado em seguida.

POSSÍVEIS RISCOS, COMPLICAÇÃO E MAL-ESTAR

Qualquer procedimento médico pode implicar em certos riscos. Existem riscos cada vez que uma pessoa recebe uma sedação profunda e esses riscos são maiores se a pessoa é considerada obesa. Todo equipamento de suporte e cuidados para evitar qualquer complicação estão à disposição do médico anestesiologista.
Ainda que menos provável, pode haver complicações resultantes da presença de um objeto estranho ao corpo.

COMPLICAÇÕES RESULTANTES DA PRESENÇA DO BALÃO INTRAGÁSTRICO

-Desinsuflação do balão e sua expulsão pela via natural- 1% a 8%

-Meteorismo- 8%

-Náuseas de dor persistente (por mais de duas semanas após o posicionamento)- 3%

-Úlcera de decúbito- 1%

-Úlcera péptica- 1%

A detecção da preseça de coloração azul na urina ou nas fezes, deve ser comunicada imediatamente ao médico para que seja retirado o balão.
É fundamental seguir a orientação nutricional e o acompanhamento psicológico, associado a exercícios físicos para um bom resultado do tratamento proposto.

Apesar da colaboração do paciente e o empenho dos profissionais, existe a possibilidade de não haver a perda do peso planejado anteriormente ao início do tratamento. Por não se saber o efeito da perda rápida de peso sobre o feto, aconselha-se a utilização de método contraceptivo durante o período de tratamento.No caso de gravidez, deve-se comunicar ao médico para que o balão seja removido.

POSSÍVEIS BENEFÍCIOS

A perda de peso poderá melhorar a saúde em geral, a qualidade de vida e prolongar a expectativa de vida.

O BIB é um método alternativo ao uso de drogas e que não exige afastamento das atividades normais de trabalho e físicas. Pode ser interrompida a qualquer momento e ser repitido, se houver necessidade, sem restrições.

CINCO

Centro Integrado da Cirurgia da Obesidade fica em Porto Alegre, no Centro Clínico da PUC - RS. Entre em contato e marque sua consulta

 

 

 

 

© 2018 todos os direitos reservados - Criação DOM

Curta nossa FanPage